(Imagem: Reprodução/Internet)
#CaféComAPsico

Quando éramos crianças, fomos muitas vezes ensinados que não podíamos expressar nossos sentimentos quando nos diziam: “menina bonita não faz isso”, “você é tão lindo pra ficar bravo assim”, “chorar não é coisa de homem”, “desamarra essa cara”, “engole o choro”, etc.

Todos nós sentimos coisas boas e ruins com os acontecimentos ao longo de nossas vidas, mas não nos permitem demonstrar e muitas vezes as pessoas não tem paciência ou compreensão de nos ouvir.

Além disso, hoje se criou uma cultura de que sempre temos que estar sorrindo, de bem com a vida, com um otimismo exacerbado e que se por acaso reclamarmos de algo, somos ingratos ou infelizes.

Assim acabamos por jogar nossas tristezas embaixo do tapete, como se isso resolvesse os problemas, o que não é verdade, pois acabamos camuflando e uma hora ou outra vem à tona, e pode nos levar a adoecer por adiar esses sentimentos.

As vezes é preciso reconhecer que não vivemos numa bolha, que nos livra sempre do sofrimento, a questão é que podemos sentir tudo porque somos humanos, mas o que vamos fazer com esses sentimentos que vai fazer a diferença no nosso caminho.

Autora: Grasiela Siqueira
Psicóloga
CRP 06/119271
grasi.fsiqueira@gmail.com
(19) 99320-2353
Rua Luiz Delbem, 170 – Centro – Americana/SP
Insta: @umapsicologa_me_disse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui