Estou procurando um lugar …

Quantas vezes sentimos que não estamos no nosso lugar?

0
428
(Foto: Reprodução/Internet)

Einstein dizia: “Se você julgar um peixe pela sua capacidade de subir em árvores, ele se sentirá um tolo para o resto da vida”.

Quantas vezes sentimos que não estamos no nosso lugar? Que onde vivemos, trabalhamos ou com quem estamos não está compatível com nosso perfil, personalidade ou sonhos?

Já parou pra se perguntar se você está no lugar que de fato gostaria de estar hoje? Talvez com a pandemia isso fica mais difícil de responder, mas vamos pensar num âmbito psicológico e lembrando que essa fase triste vai passar …

Para abrir um lugar que seja só seu você precisa de uma chave, cada um tem uma em particular, qual é a sua?

“Procuro um lugar que eu sinta pertencente a ele de verdade, um lugar que eu seja acolhido(a), compreendido(a), perdoado(a) e simplesmente amado pelo que de fato eu sou … que eu também saiba retribuir isso”.

“Queria um lugar seguro, de aprendizagem de recomeço, onde eu possa desfrutar de conhecimento, risos e de paz”.

“Busco um lugar que chorar e me mostrar vulnerável não seja motivo de ser chamado de fracassado(a), que isso possa ser só um combustível para que eu alivie a minha dor e me levante de novo…”

“Sonho com um lugar onde a liberdade e as ferramentas necessárias para eu lutar pela dignidade e objetivos estejam acessíveis e seguras para todos …”

“Tenho medo de não encontrar um lugar, mais medo ainda de não me encontrar dentro de mim, na minha abertura para mudanças de pensamento e de comportamento”.

Eu não me canso de buscar, um dia sei que vou encontrar, mesmo que um dia eu perceba que sempre estive nesse lugar e nunca soube reconhecer, aproveitar e valorizar.

Autora: Grasiela Siqueira
Psicóloga
CRP 06/119271
grasi.fsiqueira@gmail.com
(19) 99320-2353
Rua Luiz Delbem, 170 – Centro – Americana/SP
Insta: @umapsicologa_me_disse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui