Coronel da PM desabafa em seu Facebook: “Estamos doentes, olhem por nós!”, após suicídio de policiais militares

0
1199
Luiz Claudio Rodrigues Alves,oficial que cometeu suicídio

Luiz Cláudio Rodrigues Alves, um oficial superior, um Major da Polícia Militar do Estado de São Paulo, pai de um linda garotinha de 8 anos se transformou na madrugada de hoje na mais recente vítima de algo que vem se transformando num dos maiores problemas da Instituição: o suicídio.
Muito provavelmente ao longo da minha carreira tenha me relacionado com o Major Rodrigues Alves, provavelmente em alguma reunião, curso ou evento institucional.
Ao ver hoje a sua foto no Facebook, sua fisionomia não me pareceu estranha, mas não consigo me lembrar exatamente de quando e onde nos cruzamos ao longo de nossa carreira.
Imediatamente comecei a receber nos grupos de whatsaap que participo, menções elogiosas ao oficial, comentários sobre a sua retidão no comando e seu respeito para com seus subordinados.
Em seis dias houve três suicídios de policiais militares, incluindo o caso do Major Rodrigues Alves. Antes dele, nos últimos dias, uma policial militar na capital do estado tirou sua vida logo após cometer homicídio contra a própria filha e, antes disto, um outro policial militar se matou na cidade de Cosmópolis.
Estes três casos, infelizmente não são isolados e refletem uma realidade que nossos mandatários fingem não existir: nossa tropa está doente!
A atividade policial por si só é estressante ao extremo, suportável apenas por aqueles vocacionados para ela.
Não obstante a natural dificuldade, com salários humilhantes, nossos policiais militares, para honrar seus compromissos financeiros se submetem a escalas desumanas, que não poucas vezes chegam a 16 horas diárias e mais de 120 semanais.
Sem descanso, sem possibilidade de lazer e afastado da família, nossos homens e mulheres não estão suportando a pressão e, alguns, infelizmente, escolhem o caminho do suicídio.
Antes de perder a vida, alguns estão perdendo os casamentos, os filhos, os amigos, a saúde, o equilíbrio emocional.
Ao ler as mensagens postadas pelo Major Rodrigues Alves no seu perfil no Facebook poucos minutos antes dele atentar contra a própria vida, tive a certeza de que estamos diante de um grave problema.
Estamos literalmente “coisificando” as relações, ignorando o próximo e, olhando só para o próprio umbigo, como se o mundo não fosse um lugar de gente e de relações interpessoais.
Nós policiais militares não somos máquinas, temos limites e sucumbimos como qualquer outra pessoa e, o que nos difere é a natureza da nossa missão.
Estamos doentes!
Precisamos de ajuda!
Nos ajude, pelo amor de Deus

Humberto Gouvêa Figueiredo é coronel da reserva da Polícia Militar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui