O Tenente Coronel Rogério Nascimento Takiuchi postou em suas redes sociais uma breve reflexão pelos seus 31 anos como policial Militar do Estado de São Paulo.Segue abaixo o texto escrito pelo Coronel.

No dia 16 de janeiro de 2020 completei 31 anos de serviço como comandante do 49 Batalhão de Policia Militar Metropolitano – Pirituba, que possui a maior area territorial de uma companhia do Comando da Capital Paulista (CPC), especificamente a 1 Cia/PM, com uma área de aproximadamente 76.000 km quadrados, que junto com as outras duas companhias perfazem mais de 100 mil km quadrados de área de patrulhamento.

Deixei a data passar em branco. Estava refletindo o que isto significa e significou em minha vida.

Fazendo uma reflexão sobre meu tempo de serviço na gloriosa PMESP duas perguntas me são retóricas e sempre as faço: Será que só enxuguei gelo? Apenas tapei o sol com a peneira?

Inexoravelmente estas perguntas me levam a mais importante? Qual a verdadeira contribuição que fiz para a sociedade Paulista?

Mas as reflexões não param por aí. Qual a contribuição dos milhares de mulheres e homens policiais que passaram por este período servindo e, tristemente, morrendo com foco em nossa missão de “Combater o crime, Fazer cumprir as leis, Preservar a Ordem Pública e Proteger as pessoas” , ou seja, Salvar Vidas.

Os nossos Heróis morreram em vão?

Mas olhando os números de diminuição dos indicadores criminais, ano após ano, desde 2000, quando começou o acompanhamento estatístico deles e chegando o encerramento de 2019 o que eles mostram?

Eles nos dizem que não enxugamos gelo. Eles mostram que as quedas contínuas por quase duas décadas não são acaso, milagre ou sorte.
Eles afirmam que muito trabalho foi realizado por todos, nossos Heróis tombados, por milhares de mulheres e homens policiais militares e, ainda, usando as palavras do nosso Comandante Geral Coronel Salles “Lembro que essa conquista é compartilhada com a nossa Polícia Civil do Estado de São Paulo, com a nossa Polícia Técnico-Cientifica, com as Guardas Municipais, Consegs, mediação comunitária, proerd, integrantes do exitoso programa “Vizinhança Solidária”, as forças vivas paulistas e demonstra claramente que, independentemente da cor do uniforme ou da missão constitucional, o que realmente importou foi a defesa do interesse público ou seja a população paulista .”

Enfim, hoje, eu sei que posso agradecer a Deus por ter feito parte desta história, principalmente com os 25 anos servidos no 19 Batalhão de Polícia Militar do Interior, local de minha residência, que combatemos o bom combate, muitos já guardaram a fé, ganhamos muitas batalhas, mas que a “guerra” contínua, todavia existe luz no fim do túnel porque os bons não estão parados ou omissos e o mal não prevalecerá.

Takiuchi trabalhou por 25 anos no 19º Batalhão em Americana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui